Comerciantes do mercado do Bosque reclamam de abandono por parte do poder público

67
As lâmpadas decorativas estão queimadas, o que dá um impacto visual diferente do projeto original-Foto: Eudes Góes

Por:

Eudes F. Góes

Um grupo de comerciantes que mantêm seus negócios no maior ponto de gastronomia alternativa do Acre, o famoso Mercado do Bosque apresentou à imprensa uma denúncia quanto às condições em que se encontra a recém-inaugurada estrutura do local.

O mercado que é da prefeitura está apresentando sinais de decadência devido à falta de manutenção e também a ausência de policiamento.

Devido à situação em que se encontra o mercado, seus  frequentadores começaram a se afastar durante o período noturno, trazendo prejuízos para os comerciantes locais.

Já existem relatos de violência nas dependências do  mercado, o que deixa todos inseguros. Na semana passada ocorreu uma tentativa de estupro  dentro de um dos banheiros, quando um homem com transtornos mentais atacou uma das comerciantes. A mulher ficou ferida devido a uma mordida que sofreu em um dos dedos da mão e para escapar teve que gritar, chamando a atenção de populares que a socorreram.

Como se não bastasse a ausência de policiamento, o aspecto geral da estrutura já apresenta sinais de decadência como a falta de manutenção e também de um serviço de vigilância para impedir a concentração de bêbados e drogados no interior do centro comercial.

A comerciante Kátia, responsável por um dos quiosques, disse à reportagem do site www.axeinoticias.net  que alguns de seus clientes, aqueles mais exigentes, deixaram de frequentar sua banca devido ao abandono  no qual se encontra o mercado. Segundo ela, a baixa na clientela causa prejuízos, já que os alimentos são preparados, e se não forem consumidos vão para o lixo:  “É um vexame sem precedentes. A pessoa está comendo e vem alguém sujo, com bafo de pinga pedir que pague uma refeição. Não tem sequer um vigia para convidar o intruso a se retirar do ambiente”.

Outro comerciante, que pediu para não ser identificado, afirmou que estão acontecendo roubos de automóveis no entorno do prédio. Ele conta que nos últimos dias  foi reclamado o sumiço de três automóveis e três motocicletas das imediações do estabelecimento.

Os comerciantes alegam que quando precisaram de uma patrulha mais intensa pela região não dá pra contar com o polícia que nunca tem disponibilidade para atendê-los.

Segundo alguns comerciantes, depois que  assumiu o executivo municipal, a nova prefeita não compareceu ao local e nem mandou nenhum representante que pudesse inteirar-se da situação em que se encontram. Eles acreditam que a essa altura ainda não foi nomeado o administrador do mercado, pois até hoje ninguém se apresentou como tal.

O grupo apela para que a prefeita Socorro Neri faça uma visita às instalações para ouvi-los e tomar ciência dos problemas, caso contrário, em breve eles nem terão  como pagar a taxa cobrada pela municipalidade.

Deixe seu comentário