Por

Eudes F. Góes

O primeiro dia após o incêndio que destruiu várias lojas no Centro Comercial da Benjamin Constant, centro de Rio Branco foi dedicado à realização da perícia por oficiais do CBMAC e à retirada de entulhos e de restos que sobraram do sinistro.

O fogo teve início por volta das 19 horas e atingiu oito lojas, das quais três ficaram totalmente destruídas.

Os bombeiros conseguiram debelar as chamas por volta das 23 horas, e uma equipe continuou no local  para fazer o rescaldo.

Peritos do CBMAC caminham nos escombros para colher indícios de onde o fogo começou-Foto:EG 

Desde as primeiras horas de hoje os peritos do Corpo de Bombeiros colhem informações para ajudar na elaboração do laudo que apontará as causas do incêndio.

De acordo com o Major Cláudio Falcão, porta voz dos bombeiros, um laudo será expedido em trinta dias e o  acesso ao local do incêndio será liberado por todo o dia de hoje.

Claudivan Feliciano, gerente de uma das lojas, afirmou que o movimento de compradores no centro comercial estava fraco, talvez devido à crise pela qual passa o país atualmente.

Sobre a suspeita de problemas na fiação elétrica, o gerente disse que é um fato a ser examinado, já que a loja era nova e tudo estava no padrão. Ele declarou também que o imóvel e a mercadoria estão no seguro, mas não sabe informar maiores detalhes sobre o assunto.

No momento em que Feliciano se lamentava do ocorrido, funcionários de duas lojas incendiadas esforçavam-se em um mutirão para retirar o pouco ou quase nada que restou das chamas, possivelmente motivados pela expectativa de superação e recomeço.

A funcionária Alice Abreu declarou que  trabalha na loja desde a sua fundação, há dez anos.

Sobre o policiamento no local o Major Falcão informou que os agentes  estão presentes em regime de plantão desde a noite do incêndio para evitar que ocorram atos de vandalismo.

Deixe seu comentário