Deracre de Cruzeiro do Sul constroi porto improvisado para desembarque de mercadoria

Deracre de Cruzeiro do Sul dá um show de competência na construção de um porto provisório em Cruzeiro do Sul

85
Máquinas do Deracre terraplanando o terreno erodido-Foto: Marcos Sales

Por

Eudes F. Góes

O Departamento de Estradas de Rodagens do Acre – Deracre começou a construir um  porto provisório para embarque e desembarque de balsas que estão escaladas para atracar no cais de Cruzeiros do Sul. A obra tem como finalidade substituir o antigo porto, o qual sofreu forte erosão, comprometendo, significativamente, a atracagem das embarcações.

Como de costume o Deracre entrou em campo para resolver os problemas e utilizou seu maquinário para nivelar o terreno e preparar as condições de funcionamento do  porto improvisado.

O Porto de Cruzeiro do Sul foi construído em 2012 no governo de Tião Viana, atendendo a uma velha reivindicação da sociedade cruzeirense.

No entanto, por um erro de projeto, o porto foi construído na curva do rio, e sobre um aterro que com o tempo foi retirado pelas águas.

Assim, logo que começou a funcionar, percebeu-se que a obra estava prejudicada, quando a primeira rampa do cais de embarque e desembarque apresentou problemas.

No decorrer de dois anos sucessivos o processo erosivo foi aos poucos comprometendo as estruturas da obra.

No ano de 2014 foi cogitada a construção de um novo porto, mas devido ao alto custo o governo abandonou a ideia e preferiu restaurar o antigo, o que custou aos cofres públicos a quantia  de setecentos mil reais, mas devido aos problemas de perda dos sedimentos, acabou fracassando.

Atualmente a Marinha do Brasil embargou o porto e declarou que ele só poderia funcionar a atracagem de embarcação até a cota de 8 metros, e abaixo disso deveria construir uma nova rampa de acesso, e também só poderia libera-lo mediante a expedição de um laudo assinado por um engenheiro da Deracre ou do Estado.

O diretor do Deracre  Italo Cesar S. Medeiros ao saber do problema designou os engenheiros Sócrates José Guimarães e Ivo Wiciuk Junior para vistoriar e preparar o documento, que na prática detectaram os danos irreversíveis nas estruturas do porto.

Diante da situação precária do porto, e para que o porto fosse liberado, o Deracre comprometeu-se  em construir a rampa provisória e, posteriormente, um novo porto, o que deve acontecer em data oportuna.

As últimas balsas que estavam para chegar-Foto:Marcos Sales

Ainda segundo o Gestor Marcos Sales ” O porto de Cruzeiro do Sul é de suma importância para economia cruzeirense, quando o município vivia isolado era por ele que chegava todo o progresso da região”. “Mesmo atualmente com interligação de todo o estado por via terrestre, ele continua sendo fundamental  para com relações do município com a região”. Destacou um dos mais populares e experientes funcionários do Deracre de Cruzeiro do Sul.

Na tarde desta terça  feira, 27, sob a direção do Gestor Marcos Sales, o Deracre deu como concluída uma das etapas do acordo.

Farinha sendo a espera de ser exportada-Foto: Marcos Sales

No dia de hoje, além da chegada da balsa, partiu do porto improvisado de Cruzeiro do Sul a farinha que é vendida em outros centros comerciais.

Deixe seu comentário