Diretor do Deracre faz visita de inspeção no Ramal Pique do Meio e do 445 na região de Porto Acre

40

O Diretor de Pavimentação do Departamento de Estradas e Rodagens Infraestrutura Hidroviária e Aeroviária – Deracre, Ton Sérgio, acompanhado de funcionários do órgão, esteve nesta terça feira (12) em visita de rotina no Ramal Pique do Meio, em Porto Acre, e na AC-445 que liga a Vila do V ao Município do Bujari. A visita foi acompanhada pelo Prefeito de Porto Acre, Bené Damasceno, principal parceiro do órgão nas obras de restauração da via rural.

Segundo Ton Sérgio, a visita da da equipe tem como objetivo “proceder a fiscalização das obras dos Ramais do Acre, um projeto que o governador criou devido à promessa feita na campanha, que os ramais seriam todos abertos e que teria uma parceria entre os governos do estado e as prefeituras.

O diretor afirmou ainda que “já foi concretizado o ato de assinatura dos convênios, e a visita é justamente para verificar como está ficando a qualidade das obras, as saídas da água, as pontes e as necessidades dos prefeitos”

Ton Sérgio declarou que “o Ramal dos Paulistas está ficando numa qualidade excelente e também o Pique do Meio, que dá acesso a vários ramais a partir das quatro bocas” E segue: “Vimos que a população está feliz. É bom ver o empenho dos nossos colaboradores, do pessoal do Deracre, mecânicos, operadores, coordenador de campo e a equipe da prefeitura que está  integrada, e não há aquela divisão entre prefeitura e estado. Há uma união e essa união vai fazer com que o estado se levante. Isso vai fazer com que o povo volte a acreditar na classe política que está tão desacreditada. A parceria entre o governo do estado e os prefeitos está ocorrendo da forma mais pacífica que existe”

De acordo com o gestor, o que a equipe concluiu com a visita é que a estrada estava em um mais completo abandono: “A gente viu que são 45 quilômetros de  buracos, buracos e mais buracos. A gente não conseguia andar de carro a mais de 10 km por hora. Vimos a possibilidade de recuperação da via na ocasião da visita e levamos uma equipe técnica com topógrafo e engenheiro para fazer um levantamento da área, para podermos fazer um reparo emergencial no ramal, e no  ano que vem recuperar totalmente com uma pavimentação definitiva”.

Ton Sérgio ainda declarou: “Nós temos que tomar como ensino para nossa vida que as obras bem feitas duram o tempo para o qual foram projetadas. Vamos colocar como exemplo o Ramal 445. Se tivesse sido feito da forma  como foi projetado, ele deveria durar de 15 a 20 anos e estaria dando tráfego. A minha preocupação como diretor de pavimentação é que a obra seja feita de conformidade com o que foi planejado. Nós gestores temos que cobrar das empresas  que ganham as licitações que a obra seja bem feita, e também temos que efetuar os pagamentos em dia”.

“Temos também que efetuar as medições em tempo hábil para dar celeridade ao serviço. Temos que encarar o estado como se fosse nossa casa, onde criamos nossos filhos e temos que dar essa credibilidade. Volto a falar da classe política e do esforço que o governador Gladson Cameli está fazendo, e da nova forma de governar.

“Então temos que ter essa noção e cobrar que as obras sejam feitas de maneira que durem e que sejam recuperadas todas as áreas que estejam danificadas na nossa malha viária. Nessa minha visita eu não avaliei apenas a parte do ramal Pique do Meio ou Estrada AC-445. Aquela parte da Vila do V, onde fica o comércio da cidade, precisa de uma drenagem e recuperação do pavimento. Ali nós vamos fazer exatamente isso.

“Vamos recuperar, fazendo uma pavimentação asfáltica de cerca de dois quilômetros. Estamos fazendo um levantamento para levar ao governador para que ele dê a autorização, e também corra atrás dos recursos para que possamos fazer essa recuperação”.

Sobre o papel do Deracre no contexto da política do governo Ton Sérgio afirma que “este projeto não é só para a Vila do V ou Porto Acre, estaremos também em outros municípios como Manoel Urbano, Feijó e Tarauacá. Criamos três projetos para a realização de uma operação tapa buracos e também de pavimentação, onde haja necessidade”.

Ton Sérgio joga limpo e afirma que ainda não há uma data definida para o início das obras: ”A gente está elaborando o orçamento do  projeto para levar ao governador. O Deracre não tem licitação para adquirir massa asfáltica. Nós estamos iniciando uma negociação com um empresário que ganhou três licitações em Feijó e Tarauacá e ele está propondo locar uma usina do Deracre e pagar com 100 toneladas do produto. É como faremos os trabalhos. Nossa equipe administrativa está entrando em contato com ele para saber como vai se dar esse contrato. O nosso pensamento é que ele nos pague com asfalto e possamos fazer as ruas dos municípios de Feijó e Tarauacá.

O administrador esclareceu como o projeto será colocado em ação: ”Estamos aí agora. Como o Depasa passou a ser um departamento  de água e saneamento, o Deracre voltou com parte da pavimentação urbana.

“Vamos ter a parceria. O governo do estado já nos autorizou a correr atrás e fazer o levantamento das cidades do interior, iniciando por Manoel Urbano, depois Feijó e Tarauacá. Inclusive o prefeito de Sena Madureira já se dispôs a usinar pra gente e essa massa poderá ser usada no município, como também ser levada para Manoel Urbano. Aí teremos uma ação de Sena Madureira com Manoel Urbano, e  Feijó com Tarauacá. São quatro cidades que serão unidas para que possamos fazer esses trabalhos”.

Ton Sérgio finalizou falando sobre a importância do Deracre para o estado e da parceria do órgão com os municípios:

 “O Deracre é o maior órgão parceiro, é a maior estrutura que o estado tem. Se estudarmos a história do Acre, vamos ver que o Deracre vai completar em julho, 56 anos e que foi ele que criou o estado. O Deracre impulsionou a economia do Acre. O Deracre pode voltar a esse patamar. Nós vamos correr atrás dessas parcerias com todas as prefeituras, independente de bandeira partidária. Parcerias feitas de mãos dadas, ombro a ombro, para galgar os espaços, para que a gente veja no semblante das pessoas o que a gente viu no ramal Pique do Meio, as pessoas esperançosas, acreditando na mudança.

“Tem que mudar para o bem, porque dá para fazer as coisas boas. É necessário e  é possível. O governador Gladson Cameli está mostrando através do Deracre que as ruas podem ser pavimentadas e ramais podem ser abertos quando se junta a força da prefeitura, do estado e do governo federal.

“Em pouco menos de cinco meses de governo, Gladson Cameli já está investindo mais de dez milhões na abertura de ramais, algo que não foi visto nesses últimos vinte anos. Então esse é o caminho, a união e o trabalho de cabeça erguida. É olho no olho, fazendo tudo que é possível. Nós estamos fazendo tudo que é possível e tudo que é bom para os municípios”.

Deixe seu comentário