Morre o enfermeiro Patrício, um batalhador pela vida

41

Por

Eudes F. Góes

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU perdeu um dos seus mais competentes e expressivos funcionários, o enfermeiro George Patrício Moreira (52), vítima de infarto fulminante. O enfermeiro tomava banho  antes começar mais um turno de trabalho, salvando vidas, quando sofreu a parada cardíaca.

Patrício era totalmente dedicado ao seu trabalho de socorrer pessoas e o exercia desde a inauguração do SAMU no Acre.

Em quatorze anos de dedicação à  instituição, adquiriu o respeito de todos pela forma desprendida como se relacionava com os amigos e com o trabalho.

A enfermeira Lúcia, ex-diretora do SAMU, fez um pequeno resumo sobre o colega: “doação, amor, desprendimento e uma incrível capacidade de realizar missões arriscadas e difíceis, fosse rio acima,  de madrugada ou mesmo à bordo do helicóptero, resgatando vidas a qualquer hora do dia ou da noite”.

George Patrício sofria de hipertensão e já vinha sentindo-se mal, pois, segundo a técnica Fátima,  sua companheira de trabalho, ele chegou a solicitar, por três vezes, procedimentos de massagem. Conta Fátima que “a dor era no pescoço, descendo para o braço, em forma de “U”. Eu ainda o aconselhei a procurar tratamento: Patrício vai ao médico, mas ele me respondeu: vou nada neguinha isso não é nada”.

Durante a manhã desta segunda feira (25), Patrício procurou uma médica cardiologista que o receitou a esteira, procedimento utilizado para analisar como estão trabalhando as válvulas do coração. Segundo informações, ele ainda chegou a realizar o exame, mas não há informações sobre o laudo.

Conta a enfermeira Thais que seu colega  andava muito triste e preocupado com a possibilidade de demissão dele e de alguns dos amigos de trabalho.

No fim da tarde, quando correu a notícia de que Patrício estava em estado grave, autoridades médicas deslocaram-se para o HUERB, e uma equipe médica multidisciplinar  o aguardava, mas ele não conseguiu chegar com vida.

Como tudo aconteceu

Por volta das 16h45min, Patrício disse à esposa que ia tomar banho porque estava chegando a hora de ir ao trabalho. Logo que começou a banhar-se teve a súbita parada cardíaca, acompanhada de uma dor tão forte que o levou a dar um grito que assustou a todos. Imediatamente os familiares começaram a massagear seu peito, enquanto o SAMU era acionado para socorrê-lo.

No local os socorristas ainda conseguiram reanimar o colega, mas quando se deslocavam para o Pronto Socorro, nas imediações da extinta Escola Lindaura Leitão, ele sofreu o segundo infarto, e apesar de todo o empenho da equipe médica com massagens cardíacas, choques elétricos do desfibrilador e aplicação de ampola de adrenalina, ele não retornou mais, e assim, o socorrista que salvou tanta gente, foi dado como morto.

Enquanto isso, no Pronto Socorro estava tudo preparado, inclusive com a presença da equipe de cardiologia, esperando a chegada de Patrício. Mas, infelizmente, o local para onde ele levou tanta gente, não teve tempo de recebê-lo.

Ironicamente, uma das especialidades médicas de Patrício era a cardiologia,  responsável pelo tratamento da doença que tirou sua vida.

De acordo os familiares Patrício será velado na Capela São João Batista.

 

Deixe seu comentário