Policiais Civis do DHPP identificam assassinos do ex-sargento do Exército

67
Polícia já quem são os autores e a motivação para o assassinato de João Evangelista-Foto: Acervo Polícia

O delegado responsável por apurar o assassinato do sargento  da reserva do Exército Brasileiro João Evangelista de Souza, de 58 anos,  morto no conjunto Carandá na última segunda feira (27) declarou na manhã desta quinta feira (30), em entrevista coletiva concedida à imprensa na sede da (DIC), que a força já conseguiu identificar os autores do assassinato, como também a motivação para a execução.

O nome dos suspeitos não foi divulgado por enquanto para não colocar em risco os trabalhos de investigação da polícia.

De acordo com o delegado Getúlio Teixeira, a causa do assassinato foi o fato do sargento ter sido apontado como alguém que estava denunciando as atividades da facção na região.

Ainda segundo o delegado, os autores do crime que encontram-se foragidos, são dois indivíduos e  um deles é menor de idade, contra quem existe um mandado de internação. O policial afirmou ainda que várias diligências estão sendo realizadas por policiais do CORE, e que em setenta e duas horas estará pronto todo o levantamento de informações sobre o caso.

Para a polícia foi um crime encomendado, já que estavam acontecendo muitas prisões na região onde a facção atua.

Entenda o caso

Na segunda feira (27) o sargento da reserva do Exército Brasileiro estava em sua residência no Conjunto Carandá, quando dois indivíduos entraram e, com uma arma de fogo  e uma faca, executaram-no, sem dar ao homem nenhuma chance de defender-se.

No momento do crime, Evangelista estava sentado em uma cadeira de embalo na companhia de uma mulher, ainda não identificada. A vítima nem sequer conseguiu levantar-se da cadeira.

Uma equipe de socorristas do SAMU chegou a atender o chamado para tentar salvá-lo, mas ao chegar ao local o homem já estava morto.

Deixe seu comentário