Algumas dicas podem poupar tempo e evitar dores de cabeça

Antes de começar: reúna os documentos necessários

Nenhum documento é enviado anexo à declaração. Mas, por questões de facilidade, é bom ter a papelada em mãos. Além dos documentos pessoais (RG, CPF etc.) do declarante e dos dependentes, reúna os comprovantes de todos os rendimentos e dos dedutíveis. Tem certificado digital? 

Com o e-CPF, ou certificado digital, os documentos assinados digitalmente têm a mesma validade que documentos físicos, assinados manualmente. É também com essa ferramenta que você pode acessar o e-CAC e obter dados de declarações dos últimos cinco anos.

Enviou a declaração? Recupere o recibo

Todos os anos, após enviar a declaração pelo programa ou aplicativo, o contribuinte recebe uma sequência de 12 números que identificam a declaração, útil para acompanhar o processamento pela internet ou mesmo para fazer uma declaração retificadora.

Uma recomendação de segurança da Receita Federal é sempre salvar a declaração em formato PDF em um pendrive ou em um HD e guardar uma cópia. Se você não fez isso, pode tentar:

Pelo e-CAC

É preciso possuir cadastro prévio ou certificado digital

Pessoalmente, nas unidades de atendimento da Receita Federal

No computador usado para o envio

A informação está gravada na pasta “C:\Arquivos de Programas\Programas SRF\IRPF2018\transmitidas”, criada no ano em que o contribuinte enviou a declaração. Acesse os dados pelo próprio programa da Receita, clicando em “declaração”, “imprimir” e depois em “recibo”.

Em celulares utilizados para o envio

Em aparelhos com sistema operacional Android, os arquivos devem estar na pasta \download.

Se o sistema for iOS, o arquivo estará na pasta de arquivos do programa do Imposto de Renda do aparelho. Para localizar, é necessário utilizar o iTunes. Com informações do Portal Brasil.

Deixe seu comentário