Segunda feira  guerra entre facções recomeça com um morto e outro baleado

27

Aquela máxima afirmando que o crime não compensa parece não estar sendo observada pelos mais jovens. Eles sempre se  envolvem em crimes e sempre levam a pior, prova de que a afirmativa está correta e por isso deveria ser levada mais a sério.  Na manhã desta segunda feira (11) no Bairro Vitória, o jovem Thiago Henrique Pinto de 16 anos, trocou tiros com um desafeto de nome Vanderson Oliveira e acabou sendo morto por ele com oito tiros. Vanderson ficou ferido.

De acordo com informações preliminares da polícia militar, os dois indivíduos envolvidos no conflito são de facções opostas, um do CV  e o outro do PCC, e por isso odeiam-se ao ponto de estar sempre um à espreita do outro, como se duas feras fossem.

Devido à situação permanente de hostilidade entre faccionários rivais,  aconteceu mais uma vez o que já virou rotina no Acre: de armas em punho os dois se enfrentaram, e um deles foi mandado embora para o lado de lá. O aparente vencedor ficou ferido e, se escapar, logo que receber alta será interrogado e preso.

O fato é  que os crimes de homicídio entre jovens estão se repetindo com muita frequência, e como resultado disso já temos cerca de mil e seiscentos jovens que perderam a vida nessa inaceitável guerra.

Essa onda de crimes está tão grave, que no estado do Acre o gosto de sangue já se faz presente até na mesa do acreano;  e o pior é que não há nenhuma previsão para o fim de tal mortandade.

Para atender os feridos o SAMU foi acionado e os socorristas  atestaram a morte de Thiago, como também encaminharam Vanderson ao pronto socorro em estado considerado grave, correndo, inclusive, risco de morte.

Policiais militares foram à cena do crime, e mais uma vez testemunharam a dor de uma mãe que veio chorar  diante do corpo a morte do filho.

Técnicos do Instituto Médico Legal -IML estiveram periciando o local e retiraram o corpo  da via pública.

Por último chegaram os agentes da DHPP (Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa) e, como de costume,  começaram a fazer perguntas às testemunhas, o que vai resultar na abertura de mais um inquérito, entre tantos, por meio do qual tentarão descobrir o que aconteceu mais esta vez.